Posts tagged ‘Garimpo’

Shemekia Copeland

Filha de peixe… O sobrenome não é coincidência. Shemekia é filha de Johnny Copeland, o bluesman estiloso que misturava elementos do blues texano com a soul music.

Seguidora da tradição das grandes divas do blues como Ruth Brown, Etta James and Koko Taylor, desde seu album de estreia “Turn the heat up” aos 19 anos, Shemekia mostra a força de suas influências e de sua estirpe.

O album mais recente “33 1/3”, traz no título a referência de quem busca a contramão da tecnologia e da eletrônica. E isso sempre é bom.

Siegel-Schwall

TheSiegel-Schwall Siegel-Schwall Band é uma banda de branquelos de Chicago formada em 1964 e gravou uma série de albuns entre 66 e 74, a maioria pelo selo Vanguard.

Corky Siegel (harmônica) e Jim Schwall (guitarra) conheceram-se quando eram alunos do curso de música na Universidade de Roosevelt. Siegel era um saxofonista que tinha no blues a sua principal influência enquanto que Schall era apreciador da música country americana. Mas o gênero que prevaleceu nesta fusão foi o blues, embora o country esteja presente nas guitarras executadas por Schwall.

Durante muito tempo eles foram a banda residente em um clube chamado Pepper’s Lounge em Chicago e acompanharam em algumas ocasioões músicos do nipe de  Junior Wells, Buddy Guy, Billy Boy Arnold, Little Walter, Muddy Waters, entre outros,

A banda acabou em 74 após lançar o premonitório R.I.P. Siegel/Schwall. Reuniram-se novamente em 87 e fizeram algumas sessões esporádicas desde então.

No lynk à seguir um grande momento dos caras em 1971, antecipando o que Brian Setzer viria a fazer alguns anos depois com sua Big Band. http://www.youtube.com/watch?v=d8QRr92qDWc

E em uma aparição recente executando “I Think it was wine” http://www.youtube.com/watch?v=_kAwum6NuTI

Marcia Ball

Marcia Ball nMarcia Ballasceu no Texas, mas cresceu e teve sua formação musical na Louisiana. Assim, foi definida como “uma cantora atrevida e uma pianista soberba” e sua música como um lugar “onde o ‘stomp-rock’ do Texas e ‘swamp-blues’ da Louisiana se encontram”. Diferente de Broussard, a veterana Ball pouco afasta-se da vertente que deu origem a sua música, o blues. O piano incendiário conduzido por ela, porém, coloca vigor que não deixa os ouvintes ficarem parados. Nem que seja pelo pé batendo no chão para acompanhar os seus boogies.

Marcia Ball: http://www.youtube.com/watch?v=bHETPRFo4PY + http://www.youtube.com/watch?v=hJ-bYVHbKjQ

Marc Broussard

Marc Broussard 1Marc Broussard pertence a uma safra de músicos da Louisiana que está antenada às influências rítmicas do mundo. Seu estilo é uma mistura de funk, blues, rock e rhythm’n’blues, amarrados às fortes raízes sulistas. Como todos os que misturam, Marc talvez não agrade aos puristas, mas há pérolas em seu repertório (inclusive autoral) que fazem jus à fonte em que bebeu. Independente de gênero ou de rótulo, é música da boa.

Marc Broussard: http://www.youtube.com/watch?v=FuWPseegaKw + http://www.youtube.com/watch?v=zqS6yPYIJvg

North Mississipi Allstars

Mais de um século depois que os escravos do Mississipi improvisaram os primeiros instrumentos feitos com caixas de charuto e cabos de vassoura, tem gente tirando som de guitarras rudimentares para renovar (e consequentemente prolongar) a história do blues.

É o que fazem os North Mississipi Allstars.

Formada pelos irmãos Luther e Cody Dickinson (guitarra/voz e bateria, respectivamente) e pelo baixista Chris Chew (que tem os ares de Willie Dixon), estão na ativa desde 1996 e tem agenda lotada por festivais espalhados por todo o mapa dos Estados Unidos ao longo do ano.

Apesar da forte influência dos roots, o som dos NMAllstars utiliza outros elementos e explora a virtuose dos seus integrantes em sessões rítmicas e instrumentais que se distanciam um pouco da pureza da música que representam. Não chega a ser um problema, mas os puristas vão achar que é nessas horas que o trio se perde.

Os irmãos Dickinson são herdeiros de Jim Dickinson, blueseiro um tanto obscuro do 3º escalão da velha guarda. Esse fato não chega ser relevante, pois os rapazes adquiriram luz própria. A grande contribuição do pai deve ter sido o som que rolava na vitrola da família e que fez a formação musical da dupla.

Nos Links à seguir a página oficial da banda e uma amostra do que os caras fazem:

http://www.nmallstars.com/