No final do século XIX, um homem era castigado em praça pública. Amarrado ao troco, que ele havia cortado e carregado até o centro da plantation, Thomas Singer era açoitado em frente ao seu povo até ter todas as suas forças arrancadas. Seu crime? Compor canções de amor para a filha do dono da plantation.

A moça, viúva sem ter sido esposa, chorou sua morte abraçada ao tronco que servira de testemunha do último sopro de vida de seu amado. Sabedor disso, seu pai ordenou que o tronco fosse arrancado e queimado, mas os negros trataram de remover lascas da madeira e distribuiram-nas entre os presentes que as guardaram como amuleto.

Anúncios